Rafael Bazano (Farofa)

RAFAEL DE OLIVEIRA BAZANO nasceu aos 10 de janeiro de 1976, na cidade de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro.

Ainda pequeno, revelou um profundo e sincero interesse e inclinação à música, fato percebido rapidamente por sua mãe. Diante de sua curiosidade desmedida e encanto pelos instrumentos de corda, quando completou 11 anos de idade, ganhou um Violão Di Giorgio de sua Mãe.

Fora seu primeiro contato íntimo e direto com o instrumento. Desde então, iniciou seus primeiros estudos de Violão Popular junto à Escola de Música Santa Cecília, apesar de todas as limitações e esforços de sua família. Contudo, sua dedicação e comprometimento compensaram o empenho familiar, pois não mais abandonou seu dileto companheiro: o violão.

O estudo seguiu ininterrupto por quase 2(dois) anos. Já nesse período, se apercebeu das dificuldades e limitações quanto aos custos suportados ao estudo da Arte, fato este que restringia, sobremaneira, o estudo da Arte das Cordas aos mais abastados. No mesmo sentido, ressentia-se da carência de métodos completos e materiais complementares e adequados ao aprofundamento de seu conhecimento musical, das adversidades suportadas para a aquisição de instrumentos de boa qualidade e os raros Centros de Estudo Musical formais disponíveis.

Tal fato culminou com o seguimento de sua profissionalização com professores particulares de sua cidade, a saber, a Professora Estella os Professores Hilton Esteves Xavier, João Batista Macedo e Calos Lisboa, que muito contribuiram para o despertar de seu talento e genialidade. Eis que a despeito de todas as vicissitudes e dificuldades enfrentadas, introduziu-se, finalmente, no universo encantador do Violão Erudito aos 13 anos. Seus mentores descortinaram um cenário deslumbrante e infindo a ser meticulosamente explorado.

Imbuído dessas ideias, Rafael procedeu verdadeira imersão na Arte das Cordas. Dedicou-se com confiança inabalável, avidez incomum, vontade férrea e, desta forma, sulcou os fortes pilares sobre os quais com o lapidar dos anos, construiu seu sólido conhecimento musical.

Já aos 16 anos, passou a ministrar aulas de Violão Clássico e Popular em sua própria casa, tendo interrompido sua nobre tarefa somente aos 19 anos, por ocasião de sua convocação às Forças Armadas do Exército Brasileiro, onde cursou no “Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva” (NPOR), junto ao 32º BIMtz, em Petrópolis-RJ.

Além do orgulho de ter cumprimento seu dever cívico, do qual sempre fora consciência e voluntário, para com o Brasil, a remuneração de seu estágio de Aspirante à Oficial nas tropas do Exército lhe proporcionou a aquisição de sua PRIMEIRA GUITARRA, fato que lhe desperta profunda gratidão, até os presentes dias. São memórias preciosas e fontes de alegria permanente.

Após sua estada junto ao Exército, contando com pouco mais de 20 anos, retomou os estudos do 4º período da Faculdade de Psicologia na Universidade Católica de Petrópolis e as aulas particulares.

Contudo, nutria crescente desejo de viver pela música e para a música, sua verdadeira paixão. Não tardou para que abandonasse o curso de Psicologia.

Então, o destino que sempre lhe reservou gratas surpresas iluminou seu caminho. Estudou, avida e incansavelmente, até ser admitida sua matricula na consagrada Escola de Música Villa-Lobos (RJ), onde estudou durante cinco anos ininterruptos. Graduou-se no Curso de Guitarra Elétrica (Prof. Marcelo Araujo) e no Curso Avançado em “Arranjo e Orquestração para Música Popular”.

Em 1997, no primeiro ano de estudos na Villa-Lobos, eis que sua estrela brilha, revelando todo o esplendor de seu talento. A Escola promovia seleção aberta a musicistas em reta final de formação em instrumentos e com habilidades diversas, contando com violinistas, pianistas e demais modalidades. Os alunos e profissionais selecionados seriam recompensados com um Intercâmbio Musical, projeto intitulado “Brasil & França 500 anos de Amizade”.

Assim, o aluno do 1º ano do Curso Regular de Guitarra, totalmente anônimo e sem expressividade no meio musical profissional, subiu ao centro do palco. Não fora sozinho, porém: estava ele com seu singelo violão!

Rafael fez com que a plateia, contando com mais de 100 pessoas, obviamente apreciadoras e conhecedoras da Arte da Música, e cinco jurados austeríssimos, professores da Escola Villa-Lobos, se calassem perplexos diante de tamanho espetáculo, que despertou aplausos e lhe rendeu o PRIMEIRO LUGAR da seleção, pela célebre obra de Paco de Lucia.

Viajou, pois, à França divulgando a Música Brasileira através do Violão.

Em 2003, matriculou-se no Curso de Teoria e Percepção Musical (com a Prof. Silvia Sobreira) chamado TEPEM. Um curso técnico criado pela UNIRIO (RJ), aprimorando ainda mais seus conhecimentos musicais.

Em junho de 2006, Rafael Bazano ao realizar um show no Festival de Inverno de Petrópolis, conheceu o irmão de Peter Jordan (Christian Jordan), ocasião em que fora convidado para integrar a equipe do TV Cifras e produzir vídeo-aulas de Violão e Guitarra para o canal de alcance nacional, como Professor Titular.

Neste mesmo ano, Rafael começou a trabalhar como professor de violão e guitarra no Curso Livre/Técnico da Escola de Música UCP .(com a coordenação do Maestro Marcelo Vizani) Lecionou até o ano de 2011, pois seu Projeto Gratuito de Ensino, intitulado Cordas & Música, já devidamente maturado em sua concepção, exigia maior dedicação.

Já em 2008, matriculou-se no Conservatório Brasileiro de Música (CBM/CEU), iniciando o Bacharelado em Violão Erudito (Prof. Artur Gouvêa).

Atualmente, o Professor Rafael Bazano também conhecido, carinhosamente, pelo apelido de “Professor Farofa” (apelido dado por sua Mãe, ainda na sua infância), dedica-se à difusão da Arte das Cordas e fomento do patrimônio cultural brasileiro no Projeto Musical Cordas & Música.